18/04/2018 às 08h42min - Atualizada em 18/04/2018 às 09h18min

Comandante da PM de Cerejeiras participa de reunião estratégica

Cerejeiras – O comandante da Polícia Militar de Cerejeiras, Ivan César Vian, participou de uma reunião estratégica promovida pelo comando da Polícia Militar de Rondônia. O evento foi realizado na última terça-feira, dia 17, no auditório Jerônimo Santana, no Palácio Rio Madeira Na ocasião, o comandante-chefe da PM, coronel Mauro Ronaldo Flores, apresentou ao seu Estado Maior e aos comandantes de batalhões de todo Estado sua proposta de planejamento de gestão para o período de abril a dezembro, com destaque para o setor estratégico. Entre outras medidas da gestão anunciadas pelo comandante para melhorar os resultados da ação da PM, neste período de abril a dezembro, é trazer de volta para a corporação todos os policiais cedidos e que atuam fora da sua atividade fim, como meio para reforçar o trabalho de combate ao crime no Estado. Também é meta da nova gestão da PM as medidas propostas de valorização do policial militar, reestruturação da PM e de readequação da estrutura física da corporação, ideias transformadas em projetos que serão debatidos pelos oficiais da PM reunidos na Capital, e que ao final, com as devidas correções, ajustes e contribuições pertinentes, serão aprimorados e encaminhados ao governador Daniel Pereira, para envio à Assembleia Legislativa. O comandante detalhou seu planejamento estabelecendo prioridade de atuação em três focos que considera fundamentais: a área de fronteira, um território superior a 1.300 quilômetros, que exigem uma vigilância permanente da PM, eis que são pontos em que se desenvolvem e se recrudescem os crimes de tráfico de drogas e armas, e ainda, os conflitos rurais (ainda comuns) e a migração das facções criminosas, que têm ramificações com históricos de crimes no Estado. Neste ponto o comandante-geral da PM apresentou dados estatístico com números e detalhes sobre a criminalidade e sobre movimentos sociais que influenciam na migração dos crimes. Citou as dificuldades e a própria ineficiência do controle da região de fronteira, tanto na parte terrestre como pelos rios, ao mesmo tempo em que apresentou propostas que visam dar maior amplitude às ações de inteligência, estratégicas, tecnologia, e até de aumento do orçamento para a segurança. Ronaldo Flores citou a necessidade do emprego da técnica do algaritmo – que em síntese é uma espécie de receita, um conjunto de regras e procedimentos que levam a solução do problema, naturalmente com o uso de recursos tecnológicos de alta precisão, da tecnologia da informação -, que possibilitam trabalhar com dados concretos na busca de soluções exequíveis para a segurança pública. Com informações da assessoria Foto: Rildo Costa
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »