22/03/2019 às 07h35min - Atualizada em 22/03/2019 às 07h35min

PM agride mulher em lanchonete por 'pedido errado'

O comerciante Liz Pacheco, de 24 anos, estava atendendo no Núbia Lanches, em Jacarepaguá quando ocorreu o desentendimento em relação à entrega de um sanduíche com o agente conhecido como Tito. "A mulher dele ligou dizendo que havíamos errado de sanduíche. Tentei explicar a ela que o sanduíche levava molho. Tudo que eu dizia, ela repetia para alguém que estava do lado dela no telefone. De repente, o policial pegou o aparelho e começou a me xingar, a me chamar de piranha, de ignorante", relata a comerciante.

Após a agressão, Liz foi levada ao hospital e precisou levar três pontos na cabeça, além de ter escoriações por todo o corpo. Ela contou que o policial a agrediu por causa de um molho do sanduíche. "Ele quis um outro sanduíche, mas eu disse que não iria mandar porque ele estava me agredindo verbalmente. Acabei cedendo e mandei um motoboy entregar o hambúrguer na casa dele, no Recreio. Mas o policial chegou aqui antes de o motoboy chegar lá. Ele perguntou "quem é a piranha que falou no telefone?". Eu me identifiquei e levei um tapa na cara. Depois, corri para fechar a porta do balcão e levei mais um tapa na cara. Ele me puxou pelos cabelos, me arrastou pelo salão, me deu coronhadas na cabeça chutou muito minhas costelas. Estou com o corpo todo doído. Levei três pontos na cabeça. Ele é um monstro espero que não saia da prisão tão cedo", contou Liz.

A comerciante denunciou o agressor, que foi preso. Agentes concordaram em não fazê-la ficar frente a frente com o PM. Liz revelou ainda que Augusto César ameaçou todos no estabelecimento, dizendo que explodiria a cabeça de todos que estavam ali, caso as imagens da câmera de segurança fossem divulgadas. (Extra)


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »