25/04/2018 às 20h36min - Atualizada em 25/04/2018 às 20h36min

Deputado coloca Daniel Pereira contra a parede

O Legislativo tem mesmo muito a comemorar. A Comissão Temporária composta pelos deputados Hermínio Coelho (PCdoB), Jesuíno Boabaid (PMN) e Anderson do Singeperon (PROS) conseguiu resgatar R$ 275 milhões aos cofres públicos de Rondônia. O grupo foi instituído a fim de fiscalizar a JBS/Friboi no Estado e obteve êxito após trabalhos incessantes. É, de fato, inédito: dinheiro de corrupção e/ou omissão entrando em vez de sair. Vale o registro histórico. Cômico Ainda que a dívida seja quitada em parcelas, segundo Hermínio, já é o pontapé inicial para uma série de outras investigações que podem levar a resultados práticos tão bons ou até melhores. O engraçado é que... Ao lado O deputado José Geraldo Santos Alves Pinheiro é proprietário da empresa Rondônia Distribuidora. Daí seu nome político genial: Geraldo da Rondônia (PSC).  Legal, né? Ao lado do trio que acabou com a farra da Friboi no Estado desde que tomou posse, o parlamentar cristão enfrenta uma execução fiscal “barra pesada” patrocinada contra sua empresa e a Procuradoria-Geral do Estado (PGE/RO) não está de brincadeira.
Saídas não declaradas nem pagas A empresa do deputado está “enrolada” por causa de um Auto de Infração de junho de 2008. Lá, o órgão fiscalizador desceu a caneta no valor de R$ 9.787.103,64. PGE quer R$ 29,3 milhões No último dia 10, a procuradora Mônica Aparecida Eustáchio, escorada na Certidão de Dívida Ativa (CDA) que aparelha e torna legítima a execução dos créditos tributários anotou que o valor devido pelo imposto supostamente sonegado é de R$ 29.378,973,12. Nem mais nem menos. A comissão da JBS poderia aproveitar a continuidade dos trabalhos para fiscalizar o colega e o seu empreendimento. CLIQUE AQUI E LEIA! Multa diminuiu O Estado alega que o contribuinte, no caso a empresa de Geraldo da Rondônia, não comprovou com documentos suas alegações para diminuir o débito. Inclusive, a CDA já foi substituída com valor reduzindo a multa de 150% para 90% conforme legislação vigente. Esperemos, pois, a decisão final da  2ª Câmara Especial do Tribunal de Justiça do Estado De Rondônia (TJ/RO). “De jeito nenhum!” “Não tenho nada contra, muito pelo contrário”, bradou Geraldo no púlpito do Legislativo na última terça-feira (24).  No discurso, quis mostrar sua ferocidade ao votar contra Projeto de Lei que beneficiaria a comunidade LGBTTT no Estado de Rondônia. O projeto restou aprovado. O deputado quis aparecer, obviamente. Até mesmo porque parlamentares muito mais conservadores, a despeito dos votos contrários,  não tiveram o mesmo ímpeto desrespeitoso. #DeJeitoNenhumSonegay A coluna propõe uma campanha à comunidade LGBTTT de Rondônia: pessoas isentas da necessidade de bradar aos quatro cantos que são do bem jamais sonegam impostos. A hashtag não poderia ser outra: #DeJeitoNenhumSonegay. Poderia ser incluído ao final um “Muito pelo contrário” – a critério. Jesuíno vai pra cima da Cassol O deputado Jesuíno Boabaid não gostou nada das exposições do ex-governador Ivo Cassol (PP) sobre a renegociação da dívida do Beron. Aliás, minto. Gostou em partes. Até que a crítica chegou às hostes legislativas. Cassol não se limitou a creditar a responsabilidade ao ex-governador Confúcio Moura (MDB); aproveitou, na mesma ocasião, para apontar o dedo em riste à ALE/RO. Sobrou para Daniel Pereira O parlamentar, invocado com o episódio, aproveitou para colocar o atual governador Daniel Pereira (PSB) contra a parede.  Boabaid quer que Pereira se manifeste: vai manter ou não os termos aditivos que não passaram pelo crivo do Legislativo? viniciuscanova89@gmail.com.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »