26/08/2019 às 15h02min - Atualizada em 26/08/2019 às 15h02min

População é orientada a prestar socorro às vítimas de parada cardíaca

Aproximadamente 90% das vitimas de parada cardíaca morrem antes de chegar ao hospital. Buscando mudar essa realidade, a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) promoveu, no ultimo sábado (24), no Espaço Alternativo, em Porto Velho, atividades de conscientização. A equipe do Pronto Socorro João Paulo II esteve realizando os treinamentos básicos de como realizar os primeiros atendimentos e de como identificar uma parada cardiorrespiratória.

Durante a ação, adultos e crianças que passavam pelo local se interessavam em saber como é realizado o primeiro socorro a vitima de parada cardíaca, como no caso da Laura Cristina Pereira, que foi ao local para praticar esporte e aproveitou para aprender como agir nessa situação. “Fiquei surpresa em ver todos esses bonecos no chão, fui logo orientada do que se tratava. Aprendi com profissional a forma correta de reanimar uma pessoa até que o socorro chegue. Essa ação é muito importante, eu não saberia como agir e nem o que fazer. Agora, tenho noção de várias coisas e, possivelmente, posso vir a salvar uma vida, todos estão de parabéns, principalmente os profissionais do João Paulo II que atendem diariamente pessoas em estado grave e conseguem na maioria dos casos salva-las ”.
 

O Dia Nacional da Reanimação Cardiopulmonar é realizado em todo país, em Porto Velho, além da ação no Espaço Alternativo, outra foi realizada no Porto Velho Shopping, pela Liga Acadêmica de Cirurgia Trauma e Emergência de Rondônia. Cerca de 60 acadêmicos de medicina orientaram e demonstraram, usando 11 bonecos cedidos pelo Corpo de Bombeiros, como fazer a reanimação cardiopulmonar.

O secretário da Sesau, Fernando Máximo, esteve nos dois eventos, como médico também fez parte da equipe e mostrou como fazer nos casos de parada cardíaca. “Essas ações são extremamente importantes. As pessoas que não são da área da saúde devem  saber que, a cada minuto, sem essas manobras, a vítima perde 10% das chances de sobreviver. Cerca de três minutos após a parada, os neurônios começam a morrer, ou seja, nesses casos, não dá pra esperar chegar ao hospital. Importante lembrar, ainda, que grande parte das paradas cardíacas ocorrem fora dos hospitais, 84% ocorrem em domicílios, por isso familiares e amigos precisam estar treinados”.

A equipe do Pronto Socorro João Paulo II levou o Projeto João Paulo Itinerante. De acordo com a enfermeira Christianne Chiarelli, o projeto foi criado pelo Núcleo de Educação Permanente (NEP/JPII) com apoio da gerencia de enfermagem, e a direção geral da unidade, que tem como objetivo levar a população, orientação sobre os primeiros socorros, os atendimentos iniciais às vítimas em locais públicos, como praças, campos de futebol.

“Essa é nossa primeira ação, aproveitando o Dia Nacional da Reanimação Cardiopulmonar para dar inicio ao projeto. Teremos várias outras ao longo do ano, como atendimento a vítimas de afogamento, outras decorrências clínicas como engasgamento, prevenção em acidentes de transito. Nosso foco é orientar a população, assim poderemos salvar muito mais vidas”, destacou a enfermeira.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »