02/09/2019 às 17h45min - Atualizada em 02/09/2019 às 17h45min

Solenidade de abertura da Semana da Pátria destaca sentimento de brasilidade

O relógio marcava 8h14 da manhã de 2 de setembro quando o cabo corneteiro Hirlando Carlos anunciou, pelo toque de autoridade, a presença do governador Marcos Rocha para abrir a solenidade comemorativa da Semana da Pátria nas escadarias do Palácio Rio Madeira, em Porto Velho, em grande evento com a presença das mais importantes autoridades do Estado e das Forças Armadas do Brasil.

“Ou ficar a Pátria livre ou morrer pelo Brasil”. O refrão do Hino da Independência marcou um dos momentos de maior emoção de toda a solenidade, tocando fundo nas pessoas, promovendo a redescoberta do sentimento de amor à Pátria, meio esquecido, mas tão grandioso como o amor à família, que precisa ser expressado, conforme explica a sargento PM Wilany Barbosa dos Santos, que destaca esses momentos como fundamentais para realçar o sentimento de união e patriotismo entre os rondonienses e brasileiros, orquestrado por uma história de grandes conquistas, marcada por um misto de amor e bravura pelo Brasil.

Sempre ao lado da secretária de Assistência e Desenvolvimento Social e primeira-dama do Estado, Luana Rocha, e do general Luciano Batista de Lima, comandante da 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª BIS), o coronel Marcos Rocha cumprimentou a todos e disse na abertura da Semana da Pátria que “precisamos fortalecer nosso sentimento de brasilidade”. Ele chegou a citar a célebre frase de Dom Pedro I, que marcou o Dia do Fico – “Se é para o bem de todos e felicidade geral da nação diga ao povo que fico” , e neste ponto ele destacou o papel do Estado de Rondônia no contexto amazônico como a maior força produtiva da região, alinhado com a política de gestão do Governo Federal.

Falando do Brasil e de sua grandeza, Marcos Rocha voltou a citar Rondônia para exaltar sua aptidão econômica e sua pujança em todas as áreas, destacando a potencialidade do setor de produtivo primário, que alavanca o setor industrial e toda a economia. Ele disse também que o presidente Jair Bolsonaro conhece bem a realidade rondoniense e está disposto a contribuir para “o nosso desenvolvimento”.

Ao declarar a abertura da Semana da Pátria, o governador fez um breve histórico do movimento que culminou com a Declaração do Dom Pedro I ao proclamar a Independência do Brasil no dia 7 de setembro de 1822, destacando que são 197 anos de separação de Portugal, que acabaram com o estigma de colônia que impedia seu crescimento e engessava sua gestão sob domínio português. A comemoração do 7 de setembro é, pois, a celebração da emancipação brasileira do reino de Portugal.

Durante entrevista, após a solenidade, o governador respondeu questões sobre a soberania da Amazônia e do Brasil, de suas riquezas, potencialidades e dos motivos de sua cobiça por alguns países da comunidade internacional que, segundo ele, estão sendo bem administradas pela visão de segurança e de futuro do presidente Jair Bolsonaro.

Por fim, governador convidou a população da Capital para a grande festa comemorativa da Independência do Brasil, que será realizada com grande desfile militar e cívico, no próximo sábado (7), as 17h, na Avenida Imigrantes, entre as avenidas Governador Jorge Teixeira e Rio Madeira.

VALORES CÍVICOS

Entusiasta do resgate do patriotismo, o vice-governador José Jodan, falou da “retomada da ordem no País”, destacando a importância da preservação dos valores cívicos e morais como um bem do povo e da nação, fundamentais para sua prosperidade. “Precisamos orgulhar de nosso País e demonstrar nosso patriotismo”, disse.

Sempre elegante nas palavras e no trato com as pessoas, o coronel Neil Gonzaga, diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), descreveu o sentimento de amor à Pátria como um bem de valor eterno, a liberdade e a democracia, e defendeu a comemoração do 7 de setembro como um momento ímpar, capaz de tocar cada brasileiro, despertando o sentimento de pertencimento da nação que deve ser trabalhado por toda vida. “Por isso essas comemorações têm grande importância para resgatar o civismo, a liberdade e a democracia, que dignificam o homem e a nação”, disse.

De opinião semelhante, o secretário da Agricultura (Seagri), Evandro Padovani, defendeu as comemorações da Semana da Pátria como um momento de união do povo brasileiro, pelo patriotismo e em defesa de valores fundamentais. Para ele, ao resgatar os valores cívicos o povo e a nação reforçam o espírito de brasilidade, que tem o condão de estimular o País em seu processo de desenvolvimento e crescimento.

Da solenidade participaram também autoridades das três Forças do País – Exército, Marinha e Aeronáutica -, autoridades estaduais e municipais, religiosas, servidores públicos e pessoas da comunidade de Porto Velho. (secom)

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »