14/09/2019 às 07h32min - Atualizada em 14/09/2019 às 07h32min

Cinco escolas de Rondônia estão nas semifinais dos Jogos Escolares da Juventude

Aurimar Lima
Cinco escolas de Rondônia vão para semifinais nos Jogos Escolares da Juventude

Os resultados começam a colocar os vitoriosos na semifinal dos Jogos Escolares da Juventude, etapa Regional Verde, organizado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Nesta sexta-feira (13) dos 16 times de Rondônia que estavam na disputa por vaga na competição nacional, cinco já estão nas semifinais e os dois times de basquete, infantil e juvenil, feminino seguem na disputa com chances de classificação para a fase nacional dos Jogos Escolares, que acontecerá entre os dias 16 a 30 novembro na cidade de Blumenau (SC).

Entre os times que passam para próxima fase um time de futsal chama atenção. São 9 meninos que moram  nos bairros da zona sul de Porto Velho, Capital de Rondônia, matriculados na escola estadual de Ensino Fundamental e Médio Eduardo Lima e Silva, unidade de ensino com tradição no futsal infantil.  Com eles histórias de quem teve apoio em casa e nas quadras, e de outros que encontraram no professor e pai de amigos a força para continuarem a jogar bola.  

O que eles têm em comum é a vontade e habilidade para jogar futebol, o que rendeu algumas vagas nas escolinhas de base do Avai e Libertar, times rivais, com sede em Porto Velho, capital de Rondônia. Mas, eles saíram do futebol de campo para ganhar as quadras. A escola fez uma seletiva para os interessados em participar do PRÉ-JOER /Jogos Escolares de Rondônia e eles se apresentaram para compor a equipe, o resultado tem sido positivo.

Do campo para o futsal

O entrosamento deles veio com os jogos escolares, onde resolveram mostrar o potencial com a bola e a cada etapa dos jogos foram avançando em busca do titulo na etapa  Nacional. Eles foram campões na disputa da macro regional de Porto Velho,  em cima do time do município de Espigão do Oeste, com um placar de 5 x 3, e na Regional Verde venceram os times do Amapá e Tocantins. 

A equipe pedagógica aposta nos alunos, e para isso exige bons resultados também fora das quadras. Avaliações positivas quanto ao ensino aprendizagem e freqüência; também demonstração de disciplina e solidariedade.  Eles estudam no período matutino e se dedicam aos treinos no horário da aula de Educação Física pela manhã e treinos também a tarde, acompanhados pelo professor de Educação Física, Paulo Cortez, que trabalha na unidade de ensino há 7 anos. 

A comunidade escolar respira futebol, a esposa do professor-técnico, Ligiane de Almeida, também é professora na escola e já foi técnica de um time de futsal infantil feminino, campeão estadual do Joer. Os pais se destacam pelo acompanhamento dos filhos na missão pedagógica, freqüentes nas reuniões da escola e apoio nas atividades escolares, tudo para que os filhos possam se dedicar ao deporto escolar.

Sem rivalidade

Dos 9 atletas, 8 fazem parte do futebol de base de duas escolinhas rivais em Porto Velho/Rondônia, apenas o goleiro Pedro Belém, de 14 anos, que estuda no 8º ano, e deve fechar o ciclo no futebol infantil este ano.

A rivalidade acaba na escola, quando se reúnem em busca do titulo. Todos acumulam quase a mesma historia e sonho. O ala esquerda, Matheus Henrique, 13 anos, 8 ano, tem um incentivador que leva a responsabilidade do filho e mais dois alunos/atletas, o pai Franciclei Ozeias, é dirigente e fundador do time Libertar de Porto Velho, que começou há 3 anos e tem no futebol uma paixão.

Matheus disse que escolheu jogar bolar e o pai e mãe, Geovana Arruda, apoiaram a decisão. Ele afirma que não se sente pressionado, ao contrário o profissionalismo do pai é que o estimula.

 O jovem passou por uma lesão de sobre carga no joelho, certo dia durante as chaves dos jogos da Macro Regional em Porto Velho, acordou com a dor  e por isso na final jogou poucos minutos. O problema quase o tira das quadras nos JEJ em Palmas (TO), mas o pai se dedicou a acompanhar a recuperação do filho, e antes dos JEJ fez o tratamento com a fisioterapeuta e conseguiu se recuperar. 

Matheus entrou em campo no jogo contra o time de Tocantins e pode contribuir com a vitória. Ozeias além do filho Matheus é empresário de dois alunos do time, Rafael Kauã, ala direita do time, e Luiz Gabriel, que joga como fixo e é o capitão do time, estudo no 9 ano, idade  14 anos, há 1 ano entrou para a escolinha a convite de Ozeias 

Outra escolinha que vê futuro nos alunos atletas é o Avaí, que tem 4 jogadores no time de futsal do Eduardo. O pivô do time, Felipe Adriel, esta no  8 ano e joga pelo time de base Avaí há 3 anos, quem levou o menino para os treinos foi o pai, José Francisco, que também gosta de futebol de campo. 

O ala esquerda, Caio Vinicius, esta no 9 ano e joga no time de base do Avai, há 5 anos, quem levou o atleta para as quadras foi o pai, Sebastião de Sá, ativo nos jogos de bola de várzea  leva o filho de 14 anos para todos os jogos.  

Victor Gabriel Rodrigues, do 8º ano escolar, é o mascote do time, por ser o jogador mais novo com 13 anos de idade. Pela primeira vez disputa os jogos escolares e sonha com a evolução da equipe.  O pai Sebastião Rodrigues e a mãe Vânia Rodrigues, são os maiores incentivadores. Joga na escolinha do Avaí desde os 7 anos de idade e tem como amigos no futebol de campo os colegas de escola Caio, Filipe, Adriel e Thiago Finnegan.

 “Fico feliz em ver todos juntos, jogando com um único objetivo e sem nenhuma rivalidade,  coisas que a educação pode nos proporcionar” – finalizou Sebastião.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »