09/10/2019 às 11h23min - Atualizada em 09/10/2019 às 11h23min

Piso do Magistério: Deputados pedem que Governo apure as responsabilidades no erro, que gerou frustrações de professores

O erro do Governo nos cálculos de correção do piso do magistério, gerando frustração na categoria foi pauta dos deputados nesta quarta-feira (9), durante reunião da Comissão de Educação e Cultura (CEC), da Assembleia Legislativa. O deputado Lazinho da Fetagro (PT), que é o presidente, conduziu os trabalhos, com as presenças dos deputados Adelino Follador (DEM) e Ismael Crispin (PSB).

 

O deputado Lazinho classificou o episódio como lamentável. “Criou uma expectativa nos servidores da educação, uma categoria tão sofrida, após a aprovação nesta Casa do novo piso do magistério, encaminhado pelo Governo. Mas, o que seria uma coisa boa, virou uma frustração enorme e precisa ser apurada a responsabilidade”, destacou.

Crispin observou que “não se pode culpar uma pessoa apenas. Mas uma equipe. Temos que cobrar as responsabilidades e termos cuidados com esses cálculos que envolvem pagamento de pessoal e outras ações governamentais”.

Adelino Follador informou que recebeu dezenas de ligações de professores lamentando e denunciando o erro de cálculo do Governo na correção do piso. “O que me causa espanto é errarem numa coisa tão séria, que envolve tantos servidores, após um projeto ser aprovado. Será que temos outros erros, em outros cálculos do Governo? Tem que ser apurado e cobrar responsabilidades”.

O PLO 206/19, de autoria do Cabo Jhony Paixão (Republicanos), que autoriza o Executivo a criar programa educacional permanente de resistência às drogas e à violência nas escolas públicas e privadas, em todo o Estado de Rondônia. Follador fez a leitura do parecer favorável do deputado Alex Silva (Republicanos), que foi aprovado.

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »