17/11/2019 às 08h31min - Atualizada em 17/11/2019 às 08h31min

Cuba decide retirar 725 médicos da Bolívia após detenção de profissionais

Das agências internacionais
O governo de Cuba anunciou a saída imediata, por razões de segurança, de médicos que se encontram em território boliviano e exigiu a soltura imediata de quatro que foram detidos, acusados de financiar protestos no país andino.
Segundo Havana, eles foram presos pela polícia quando voltavam para casa após sacar dinheiro “para pagar serviços básicos e aluguéis dos 107 membros da Brigada Médica na região”.

“A detenção ocorreu sob a caluniosa presunção de que o dinheiro seria destinado ao financiamento dos protestos. Os representantes da polícia e do Ministério Público visitaram as sedes da Brigada Médica em El Alto e La Paz e corroboraram, a partir de documentos, nomes e dados bancários, que a quantia coincidia com a retirada regularmente todos os meses”, argumenta a nota.

A estimativa é de que 725 cubanos deixem a Bolívia. A data e as condições do regresso ainda não foram definidas.

O ministro das Relações Exteriores cubano, Bruno Rodríguez, usou o Twitter para pedir a “imediata liberação” dos quatro detidos e “o fim da campanha política de perseguição, violência e ódio contra os cubanos, além de garantias de um retorno seguro” dos profissionais à ilha.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »