16/12/2019 às 08h26min - Atualizada em 16/12/2019 às 08h26min

Vereadores são alvos de operação contra desvio de verba; notas frias eram usadas no esquema

G1

Vinte dos 27 vereadores de Uberlândia são alvos na manhã desta segunda-feira (16) de uma operação do Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) que apura desvio de verbas de gabinete. Segundo o Gaeco, a operação investiga desvio de recursos da verba indenizatória de gabinete da Casa, por meio de uso de notas fiscais frias de gráficas.

Entre os investigados estão o presidente da Câmara Hélio Ferraz, o Baiano (PSDB), e os vereadores que Juliano Modesto (SD), que já estava preso, e Alexandre Nogueira (PSD), que cumpre prisão domiciliar (confira nomes abaixo).

Ao todo, são cumprido 40 mandados de prisão e 42 de busca e apreensão, inclusive na Câmara. O grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do MP-MG, responsável pela ação, não informou qual é o tipo de mandado cumprido contra cada um dos 20 vereadores investigados.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »