20/03/2020 às 10h34min - Atualizada em 20/03/2020 às 10h34min

Morre o cachorro que testou positivo para coronavírus em Hong Kong

De acordo com informações divulgadas na madrugada desta quarta-feira (18) pela imprensa britânica, o cão da raça lulu da pomerânia que havia testado positivo para o novo coronavírus (Sars-Cov-2) morreu em Hong Kong.

A causa da morte não foi investigada por que a dona não autorizou autópsia; o cão havia testado positivo para o Sars-Cov-2 no último mês. O animal de 17 anos já havia sido liberado da quarentena e estava em casa. A causa da morte não foi investigada por que a dona não autorizou autópsia, mas especialistas ligados ao caso dizem que é improvável que tenha sido causada pelo vírus. O Channel News Asia informou que um possível motivo é a ansiedade causada pela reclusão, já que o cão era idoso.

O cão havia ficado em quarentena por 14 dias em uma instalação do governo. Segundo o Daily Mail, ele havia testado “fraco positivo” para o vírus em análises nasais e orais. Porém, em outros testes feitos recentemente, o resultado deu negativo e o pet foi liberado para voltar para casa. O pet morreu na última segunda-feira (16). 
 
A morte foi comunicada ao Departamento de Agricultura, Pesca e Conservação de Hong Kong pela própria dona. “A proprietária disse que não estava disposta a uma autópsia para examinar a causa da morte”, afirmou o departamento em comunicado.
 
Na época da notícia sobre o cão infectado, a Organização Mundial da Saúde (OMS), se pronunciou sobre o ocorrido, negando a possibilidade de o animal de estimação ter ou transmitir a doença. “Embora tenha havido um caso de um cachorro infectado em Hong Kong, até o momento, não há evidências de que um cachorro, gato ou qualquer animal de estimação possa transmitir o COVID-19.” O posicionamento permanece o mesmo. Fonte: Painel Politico.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »