27/02/2018 às 12h15min - Atualizada em 27/02/2018 às 12h15min

Apitaço marca mais um dia de greve da educação em Vilhena

O diretor regional do Sintero no Cone Sul e um dos coordenadores da greve nas escolas estaduais de Vilhena, o sindicalista Magno Ramos revelou que mais de 60% dos estabelecimentos de ensino do Estado aderiam à paralisação, iniciada na semana passada.
Escolas como a Marechal Rondon, que adotaram modalidade de ensino integral, os professores só não cruzam os braços para não perder a gratificação de R$ 900 que recebem. Já no colégio militar Tiradentes, conforme a entidade sindical, metade dos servidores aderiu à greve.
Na manhã desta terça-feira, servidores da educação e professores estão fazendo um “apitaço” em frente à Coordenadoria Regional de Educação, no centro da cidade. Além da reposição das perdas salariais, os manifestantes exigem que o Governo coloquem em prática o Plano Estadual de Educação, aprovado pela Assembléia Legislativa em 2015.
Entre as reinvindicações da categoria também está o pagamento do piso salarial nacional dos professores .
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »