10/05/2020 às 11h40min - Atualizada em 10/05/2020 às 11h40min

STF autoriza Moro e Aras a assistirem juntos vídeo que registra reunião ministerial

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Celso de Mello, permitiu que o procurador-geral da República, Augusto Aras, e o ex-ministro Sergio Moro tenham acesso à íntegra do vídeo que registra a reunião ministerial em que Jair Bolsonaro ameaçou demitir o então ministro da Justiça.

O magistrado autorizou que o vídeo seja visto também pela delegada Christiane Corrêa Machado, que comanda as investigações contra Moro e Bolsonaro. O advogado-geral da União, José Levi, também poderá acessar o registro da reunião.

A mídia está em um envelope lacrado guardado no gabinete do ministro. O material será levado à delegada pelo chefe de gabinete de Celso de Mello. Depois disso, ele deverá marcar dia e hora para que Aras, ou alguém da equipe dele, e Moro, e também seus advogados, compareçam à PF para ver o material, além do AGU.

Moro diz que, na reunião, Bolsonaro cobrou abertamente, na frente de todas as outras autoridades, a troca na direção da Polícia Federal, com a demissão de Maurício Valeixo, o que acabou ocorrendo e motivando a saída do ministro do governo.

Serão ouvidos, entre outros, os generais Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo, Braga Netto, da Casa Civil, e Augusto Heleno, do GSI (Gabinete da Segurança Institucional). O magistrado prevê também que pessoas que já prestaram depoimento, caso de Moro, poderão ser reinqueridas.

Fonte: Folha de São Paulo

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »