13/05/2020 às 14h24min - Atualizada em 13/05/2020 às 14h24min

Homem de 46 anos que esposa testou positivo para o Covid 19 em Recife, cumpre quarentena em Cerejeiras

MÍDIA RONDÔNIA
Um homem identificado pelas iniciais E.D., 46 anos, chegou no município de Cerejeiras (RO) neste domingo (10), vindo da cidade de Recife, capital do estado do Pernambuco.
 
Segundo revelou uma fonte do portal eletrônico Mídia Rondônia, o homem é filho de um conhecido produtor rural de Cerejeiras, que possui propriedade no 4ª eixo sentido Pimenteiras do Oeste (RO) e está em sua casa na área central da cidade.
 
A fonte revelou ainda que o homem veio de avião até Cuiabá-MT, locou um carro até Vilhena (RO), onde contratou um taxi para trazê-lo até Cerejeiras, mas não soube informar qual o horário que o mesmo chegou no município e se foi abordado na barreira sanitária.

A vigilância epidemiológica foi comunicada, compareceu na residência de E. D., na manhã desta quarta-feira e fez a abordagem de rotina e estará fazendo o monitoramento.

“Estive na residência ao tomar conhecimento do caso, mantive contato com o homem, que não apresentou nenhum sintoma, o mesmo confirmou que a esposa é médica na cidade de Recife (PE) e testou positivo há aproximadamente trinta dias atrás, mas a mesma fez o tratamento e já voltou a trabalhar, ele apresentou exames que testaram negativo para o Covid 19 realizados nos dias 29 de abril e 07 de maio, antes de sua viagem para Cerejeiras, relatou ainda que sua vinda ao município foi de extrema necessidade em razão de possuir propriedade rural aqui e precisar dar assistência aos funcionários e disse ainda que está totalmente isolado em sua casa, onde permanecerá pelos 14 dias de isolamento domiciliar, em acordo com o protocolo do ministério da saúde e não manteve contato direto com o pai.” Esclareceu Marilúcia Ribeiro, Diretora da Vigilância Epidemiológica.
 
Estado do Pernambuco registra 541 novos infectados e 70 mortes pela Covid-19 em 24h

Pernambuco registrou 541 novos casos do novo coronavírus nas últimas 24 horas, período no qual foram processados 844 exames laboratoriais. Dos novos casos, 276 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 265 são casos leves.

Agora, o total de infectados no Estado é de 14.309, sendo 7.644 casos considerados graves e 6.665, leves. O número de mortes aumentou em 70. No total, são 1.157 vidas perdidas por conta da Covid-19 em pouco mais de 45 dias. Há ainda outros 378 óbitos de pessoas com sintomas suspeitos da doença em investigação. 

Entre os pacientes enquadrados como graves, 1.651 evoluíram bem, receberam alta hospitalar e concluem tratamento em isolamento domiciliar. Outros 2.370 estão internados, sendo 238 em terapia intensiva (UTI) e 2.132 em leitos de enfermaria, tanto na rede pública quanto privada.
 
Até agora, os casos graves confirmados da doença estão distribuídos por 141 dos 185 municípios pernambucanos, além do Arquipélago de Fernando de Noronha e da ocorrência com pacientes de outros estados e países.

Também foram confirmados laboratorialmente 70 óbitos, sendo 36 mulheres e 34 homens, residentes nos municípios de Recife (29), Jaboatão dos Guararapes (11), Paulista (5), Carpina (4), Olinda (2), Abreu e Lima (3), Caruaru (2), Palmares (2), Carnaíba (1), Feira Nova (1), Ferreiros (1), Goiana (1), Limoeiro (1), Passira (1), Paudalho (1), Petrolina (1), São Lourenço da Mata (1), Serra Talhada (1), Serrita (1) e Vitória de Santo Antão (1).

Essas mortes ocorreram entre os dias 13 de abril e 11 de maio, e os pacientes tinham idades entre 27 e 88 anos, além de um menina recém-nascida de apenas quatro dias - 0 a 9 (1), 20 a 29 (1), 30 a 39 (4), 40 a 49 (4), 50 a 59 (13), 60 a 69 (18), 70 a 79 (18), 80 ou mais (11).

Dos 70 pacientes que evoluíram a óbito, 37 apresentavam comorbidades confirmadas: hipertensão (20), diabetes (15), doença cardiovascular (8), doença renal (6), tabagismo/histórico de tabagismo (4), obesidade (4), asma (2), neoplasia (2), histórico de doença pulmonar (1), câncer (1), insuficiência respiratória aguda (1), distúrbio hidroeletrolítico (1), doença de Alzheimer (1), hepatopatia (1), esquizofrenia (1), doença de Chagas (1) e anemia falciforme (1) - o mesmo paciente pode ter mais de uma comorbidade. Um não tinha comorbidade e os demais estão em investigação pelos municípios. Fonte: Folha de Pernambuco. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »