05/07/2020 às 12h56min - Atualizada em 05/07/2020 às 12h56min

Professora cria oficina de histórias como incentivo à leitura

Defensora da educação humanizada, Mariá lançou um projeto de contação de histórias online para incentivar seus alunos à leitura na quarentena

Nascida e criada na periferia da zona sul de São Paulo, Mariá consegue estabelecer uma conexão com sua história e a de seus alunos. Embora fosse, desde cedo, uma entusiasta da educação, ela teve que se afastar do caminho que queria trilhar em duas ocasiões: a primeira vez, quando estava no quinto ano, o pai a tirou da escola por não aprovar que estudasse à noite. A segunda, trabalhava como crecheira e foi obrigada a deixar a profissão por não ter a formação necessária. Foi trabalhar no varejo, mas o chamado permaneceu.

“Aos 23 anos fiquei grávida, mãe solteira, fui morar sozinha e tive que dar conta das contas. Só voltei para a educação quando, anos depois, meu filho me incentivou a fazer faculdade. Em 2013, passei no concurso público no Estado. Hoje, tenho pós graduação em arte e educação e voltei para o meu mundo.”

Pelo menos uma vez por semana, a professora se caracteriza como contadora de histórias e monta cenários para atrair os alunos no projeto “Contos Brincantes”. No último fim de semana de junho, ela chegou a realizar uma festa junina virtual para os estudantes da rede. “Chamava três alunos a cada três horas e conversava com eles. Perguntei do que mais sentem saudades na escola e do que mais gostavam sobre ficar em casa. Disseram que sentiam falta das aulas malucas, mas que gostavam da companhia dos pais.”

“Até essa pandemia existia um distanciamento muito grande entre a família e a escola, o que não possibilitava que os pais vissem o que os professores fazem de bom, nem os professores entendiam as fragilidades desses alunos. Ninguém educa sozinho.” Fonte R7

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »