29/07/2020 às 13h01min - Atualizada em 29/07/2020 às 13h01min

Polícia começa a prender fraudadores do Auxílio Emergencial

A Polícia Civil do Amapá deflagrou nesta quarta-feira (29) nos 16 municípios do estado a 2ª fase da operação "Ladino". A ação tem como alvo condenados e foragidos da Justiça que se cadastraram e receberam o Auxílio Emergencial do governo federal de R$ 600. Ao todo, são cumpridos 55 mandados de prisão temporária ou definitiva, com mais de 30 capturados até às 10h.

A descoberta dos criminosos aconteceu por meio do cruzamento dos pagamentos feito pelo banco de dados da Controladoria-Geral da União (CGU) com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O benefício foi pago nos próprios CPFs dos condenados.
 

De acordo com o chefe da Polícia Civil do Amapá, delegado Uberlândio Gomes, mais de 400 nomes que teriam recebido o valor de forma indevida foram repassados à corporação. Porém, a operação foi dividida em fases para preservar a saúde dos presos e agentes.

"Não podemos de uma forma irresponsável colocar centenas de pessoas em uma cela. Tem que ter essa cautela para preservar a integridade física e a saúde do preso, como também de nossos policiais. Por isso a gente vem fazendo esse 'fatiamento' na operação", explicou.

Entre os investigados, há condenados e procurados pelo envolvimento em crimes como homicídio, estupro, latrocínio, roubo e tráfico de drogas. A ação acontece na capital e municípios do Amapá.
 

Os presos foram encaminhados ao Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp) do bairro Pacoval.

Na 1ª fase da "Ladino", ocorrida em junho, os agentes cumpriram 70 mandados de prisão. O auxílio-emergencial é destinado a autônomos mães de família e desempregados que tiveram a renda afetada pela pandemia do novo coronavírus. (G1).

 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »

Você é a favor ou contra a volta às aulas presenciais?

9.4%
90.6%