07/06/2018 às 18h40min - Atualizada em 07/06/2018 às 18h40min

SINTERO: AS FARRAS, O “PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO” E A PARTIDARIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO...

A Diretoria Executiva do Sintero tem uma essência realmente complicada, do ponto de vista político e completamente divergente, no que diz respeito à questão educacional. Basta verificar o encontro promovido pela cúpula do sindicato petista, nos dias 06, 07 e 08 deste mês em um resort de luxo, localizado na região de Candeias do Jamari, sob a alegação de discutir o “planejamento estratégico” para os anos de 2017 a 2020. Casos os filiados pudessem participar desse tipo de evento, dificilmente a turma que pregou a “mudança com responsabilidade” conseguiria explicar tantos desmandos... Antes que qualquer coisa, convém fazer a defesa de todos os diretores regionais, titulares ou suplentes, porque esse tipo de ação quase sempre é decidido por cinco ou seis pessoas da cúpula do Sintero, em conjunto com outras duas ou três que jamais tiveram qualquer vínculo com a rede estadual de educação a não ser o contato indireto com a suada contribuição sindical que acaba sendo utilizada para bancar esse tipo de farra. O local, a programação, os palestrantes, tudo é definido pela cúpula; sem ouvir nenhum Diretor Regional. Logicamente que os caciques vão negar e dizer que as pessoas que questionam a atitude deles estão desinformadas, mas os fatos falam por si, como está muito claro nesses três dias de farra no resort de luxo. Para que as pessoas possam refletir e os filiados façam uma avaliação, basta uma lida na publicação feita no portal do Sintero. O local onde acontece o “planejamento estratégico” não aparece no texto. Claro que isto não é por acaso!! Publicar que a turma da “mudança com responsabilidade” ficaria três dias em um resort discutindo o sexo dos anjos pegaria muito mal e talvez seja melhor omitir o local. É importante lembrar, e todos os filiados sabem disso, que o Sintero possui amplas instalações em todas as regionais e que tem estrutura suficiente para abrigar um encontro de três dias onde participam 40 ou 50 pessoas. Inclusive, mais de uma regional tem piscina, churrasqueira, cadeiras, mesas, alojamentos com ar condicionado e outras instalações. Não existe a menor necessidade de gastar essas fortunas com o dinheiro dos filiados fazendo farra. Além disso, caso esse tipo de reunião acontecesse nas sedes do Sintero, todos os filiados da regional poderiam ter acesso e ver o que, de verdade, estava acontecendo, mas é interesse da cúpula dificultar esse tipo de acesso. Outra coisa muito estranha é que no site do sindicato está publicado que o “planejamento estratégico” terá a presença de “técnicos e palestrantes especializados”, que vão ensinar para os dirigentes do Sintero como traçar estratégias para a luta sindical, pelos próximos três anos. Esse pessoal da cúpula do Sintero deve acreditar que todos os filiados caem nesse papo furado. Basta verificar que os palestrantes, sem nenhuma exceção, são militantes do Partido dos Trabalhadores e cabos eleitorais da turma que pregou a mudança com responsabilidade. Entre os palestrantes que a cúpula do Sintero chama de “especializados” estão Maria Euzébia de Lima, que foi candidata do PT ao cargo de deputada estadual em Goiás em 2010 e também disputou a eleição no interior do estado em 2008. Em ambos os casos, não foi eleita. Bia, como é mais conhecida a militante do PT e palestrante do Sintero, é presidente do sindicato da educação em Goiás. Se a condição de presidente de sindicato for especialização, Nereu Klosinski também é especialista. Outra “técnica especializada” que está entre os palestrantes e estrategistas escolhidos pela cúpula do Sintero para o grande evento no resort é a Secretária de Formação do PCdoB de Rondônia, Sandréia Costa, que juntamente com Pantera e companhia foram cabos eleitorais da chapa “mudança com responsabilidade” na eleição do ano passado. Não existe problema algum no fato de Sandréia e Pantera terem sido apoiadores de Nereu e companhia, porque os acordos partidários feitos por eles certamente devem ter sido cumpridos. Entretanto, esse tipo de palestra não contribui em nada para resolver os problemas que a educação de Rondônia enfrenta e melhorar a vida dos filiados que pagam a contribuição todos os meses. Ao contrário do que pensam os membros da cúpula do Sintero, muitos filiados se afastaram do movimento e tantos outros pediram a desfiliação por causa da partidarização do sindicato da educação, que faz tempo, virou uma sucursal do PT em Rondônia. Para completar o grupo de “técnicos e palestrantes especializados”, o Sintero convidou para ensinar técnicas de “planejamento estratégico” aos dirigentes do Sindicato da Educação Tácito Pereira dos Santos, que também é militante antigo do PT e não possui nenhum contato com as escolas da rede estadual de Rondônia. Negar que Tácito conhece a vida partidária e o PT é bobagem, porque faz muito tempo que ele se dedica ao partido dos Trabalhadores, com certeza exclusividade. Seria bobagem também acreditar que Tácito vai ensinar alguma coisa sobre sindicato para Nereu, Claudir, Manezinho e cia... Mas pode-se dizer que a única escola que o palestrante tem ligação é a Escola de Formação Sindical Chico Mendes na Amazônia, outro patrimônio do Partido dos Trabalhadores. Fechando a lista dos “técnicos e palestrantes especializados”, a cúpula do Sintero levou para o resort de luxo o líder do Movimento dos Atingidos por Barragens, Francisco Kelvin da Silva, para falar sobre a Plataforma Operária Camponesa de Água e Energia. O Sintero precisa esclarecer aos filiados qual a utilidade dessas palestras para quem trabalha na educação. Querer impor, sem nenhuma discussão, doutrinas de determinado partido aos filiados do sindicato da educação é uma maneira irresponsável de praticar o sindicalismo dentro da educação. Enquanto isso, todos os milhares de problemas dos filiados são colocados em segundo plano, para que interesses de partidos sejam atendidos. Essa Executiva do Sintero é tão desatenta que passou a tentar impor um pré-candidato do partido escolhido apenas pela cúpula, sem nenhuma discussão e apenas para atender interesses de dois ou três integrantes do PT e da cúpula do Sintero. Nunca houve discussão nenhuma nas bases!! Claro que todos os partidos têm o direito de apresentar os candidatos que quiserem. Mas usar o sindicato da educação para fazer a política partidária é uma coisa vergonhosa... Tenho dito!!! FRANCISCO XAVIER GOMES Professor da Rede Estadual
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »