28/09/2020 às 16h41min - Atualizada em 28/09/2020 às 16h41min

Justiça mantém prisão de prefeitos e ex-deputado investigados por esquema de propina

Rede Amazônica

A Justiça de Rondônia negou o pedido de habeas corpus e manteve as prisões preventivas dos quatro prefeitos e do ex-deputado investigados na Operação Reciclagem, que apura crimes contra a administração pública. Os cinco políticos foram presos na última sexta-feira (25) pela Polícia Federal (PF) por integrarem um esquema de propina.

 

Segundo apurou a reportagem, as prefeitas Gislaine Clemente (de São Francisco do Guaporé) e Glaucione Rodrigues Neri (de Cacoal) estão dividindo a mesma cela no quartel da Polícia Militar de Ji-Paraná (RO).

Já os prefeitos Luiz Ademir Schock (de Rolim de Moura) e Marcito Pinto (de Ji-Paraná) dividem outra cela no mesmo prédio. Junto deles está o ex-deputado Daniel Neri (marido de Glaucione), que foi preso na mesma ação da PF.
 

Na sexta-feira, após as prisões dos prefeitos e do ex-deputado, foi levantado a possibilidade de transferir os cinco suspeitos à capital Porto Velho. Mas a Justiça de Rondônia decidiu por manter o grupo preso no quartel da PM em Ji-Paraná.

A reportagem apurou que os políticos investigados serão interrogados pela PF nesta segunda-feira (28). Também deve ser marcado uma reunião com os advogados dos prefeitos e do ex-deputado.

Operação Reciclagem

Segundo o delegado Flori Cordeiro de Miranda Júnior, da PF, a investigação da operação Reciclagem começou em dezembro de 2019, após um empresário que prestava serviços às prefeituras delatar sobre um esquema de propina.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »