25/01/2021 às 09h51min - Atualizada em 25/01/2021 às 09h51min

Governo entrega mais vacinas para o Cone Sul

Com informações da assessoria

Um carregamento com 920 doses da vacina de Oxford/Astrazeneca fabricadas na Índia foi entregue pelo Governo do Estado a Vilhena na tarde deste domingo. A maior parte do lote ficará em Vilhena, que é também a maior cidade do Cone Sul, enquanto uma parte será distribuída aos municípios da região. O secretário municipal de Saúde, Afonso Emerick, acompanhou o descarregamento no aeroporto de Vilhena, junto do secretário regional do Governo do Estado, Nilton Cordeiro.

A vacinação em Vilhena começou na quarta-feira, dia 20, com o recebimento das primeiras duas mil doses da Coronavac, produzidas na China. De acordo com o Plano Municipal de Vacinação Contra a Covid-19 “Vilhena Protegida”, que se baseia no Plano Estadual de Vacinação, o grupo prioritário que receberá primeiro as doses envolve uma estimativa de 2.013 profissionais de Saúde da rede pública e privada, bem como 54 indígenas.

Tanto a Coronavac como a vacina de Oxford precisam de duas doses para atingir a capacidade máxima de proteção. Além disso, o paciente que tomar a primeira dose de uma marca, deve tomar a segunda dose da mesma marca. Dessa maneira, todos os vacinados estão sendo registrados e os lotes estão sendo divididos em dois. Assim, caso haja descontinuidade na vacinação devido à logística internacional, todos que tomaram a primeira doses conseguirão tomar a segunda dentro do prazo de 14 dias.

EFICÁCIA - As duas vacinas têm a mesma eficácia de 100% contra as formas graves da covid-19, não tendo apresentado nenhum paciente que tenha necessitado de hospitalização em seus testes. Isso garante que todos que forem imunizados com as duas doses, independentemente de qual marca for, poderão, no máximo, apresentar apenas sintomas leves e estarão protegidos das complicações que levam à morte.

CUIDADOS - Até que todos os vilhenenses estejam imunizados, os cuidados com uso de máscara, distanciamento, higienização, evitar aglomerações e outras medidas devem continuar. Mesmo tendo sido vacinada a pessoa ainda pode tocar em objetos contaminados, por exemplo, e transmitir o vírus para outras pessoas que ainda não foram imunizadas.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »