28/03/2021 às 09h09min - Atualizada em 28/03/2021 às 09h09min

Anvisa sabota aprovação da vacina russa Sputnik no Brasil; imunizante é usado com sucesso na Argentina e México

Sputnik – Alegando falta de dados para fazer a avaliação, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) suspendeu neste sábado (27) o prazo para analisar o pedido de uso emergencial da vacina russa Sputnik V.

Em comunicado, a Anvisa diz que faltam dados “considerados importantes para a análise”. O andamento da análise para uso emergencial das vacinas pode ser acompanhado em um painel disponibilizado pelo governo federal.

“HOUVE A SUSPENSÃO DA CONTAGEM DOS PRAZOS, ATÉ QUE A EMPRESA APRESENTE AS INFORMAÇÕES DESCRITAS COMO ‘NÃO APRESENTADO’ NO PAINEL DIVULGADO”, DIZ O COMUNICADO.

A Anvisa informa ainda que, apesar da suspensão do prazo, a análise dos demais documentos enviados pela União Química continua sendo realizada. O laboratório brasileiro pretende fabricar a Sputnik V em parceria com o Centro Nacional de Pesquisas de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, desenvolvedor da vacina.

Com isso, o prazo de sete dias úteis para que a Anvisa decida sobre o pedido foi suspenso até que haja a entrega de todos os documentos. Assim que os dados restantes foram entregues, o prazo volta a correr.

O segundo pedido de permissão para uso emergencial da Sputnik V no Brasil foi entregue na madrugada desta sexta-feira (26). Com o segundo pedido protocolado, o primeiro pedido acabou cancelado.

O governo federal já anunciou a compra de dez milhões de doses da Sputnik V, que devem ser entregues até o final de junho deste ano.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »