12/07/2021 às 08h48min - Atualizada em 12/07/2021 às 08h48min

CPI está desmascarando Bolsonaro nas redes

Estadão

Estadão ) - O interesse pela CPI da Covid ganhou novo fôlego nas redes sociais com as suspeitas de corrupção na compra de vacinas pelo governo Jair Bolsonaro. Levantamento feito pela consultoria Bites a pedido da Coluna aponta que, desde o depoimento dos irmãos Miranda, em 25 de junho, foram 7,88 milhões de menções à comissão em postagens no Twitter, publicadas por 795 mil usuários. Há grande recorrência de expressões negativas para o governo e servidores da Saúde, como lavagem de dinheiro, pedido de propina e também corrupção passiva.

O levantamento mostra que, antes mesmo de concluídas as apurações da CPI e de eventuais investigações do Ministério Público, Bolsonaro, ao menos no importante jogo da opinião pública, já está sendo associado a malfeitos.

Mais recentemente, a prisão de Roberto Dias registrou outro pico de engajamento: 771 mil menções na última quarta-feira e 731 mil na quinta-feira, respectivamente.

Houve contra ataque dos bolsonaristas, claro, que centraram fogo nos senadores mais críticos a Jair Bolsonaro, como Renan Calheiros e Omar Aziz.

Tweets de governistas tentando detratar os oposicionistas e acusadores foram os que mais receberam engajamento de apoiadores do presidente.

O dia seguinte ao depoimento dos irmãos Miranda também representou pico no número de buscas sobre Jair Bolsonaro no Google nos últimos 30 dias.

Deputado da base governista costuma dizer que Jair Bolsonaro é o único político capaz de dar “rabo de arraia” com a maior naturalidade em qualquer lugar e dentro de qualquer circunstância.

Estadão


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »