26/11/2021 às 13h01min - Atualizada em 26/11/2021 às 13h01min

Em Cerejeiras, polícia prende homem que deu tijolada, machadada, canivetada e tentou atropelar a companheira

Com informações da assessoria
A Polícia de Cerejeiras, prendeu na tarde de ontem, 25, “K.M.R.”, suspeito da prática dos crimes de lesões corporais leves, lesões corporais graves e ameaças contra sua companheira. 

Ao que se apurou, o investigado, ao menos em quatro ocasiões, agrediu a vítima, mediante tentativa de atropelamento, perfuração com um canivete, arremesso de uma “machadinha” que atingiu gravemente uma das pernas da vítima e jogou um tijolo em sua cabeça, ocasionando também lesões. 
As informações são da assessoria da Polícia Civil. 

A vítima, quando inquirida, sempre tentou isentar a responsabilidade do investigado, afirmando que tais atos ocorreram de forma acidental. Percebe-se que há inúmeros casos de violência física e psicológica contra as mulheres e mesmo sendo vítima, a mulher não consegue solicitar ajuda das autoridades competentes, acreditando em uma eventual mudança de comportamento do parceiro ou mesmo em face da dependência emocional ou financeira, a mulher opta por “dar mais uma chance” ao parceiro.

A Polícia Civil de Cerejeiras-RO alerta que a Lei Maria da Penha prevê uma série de medidas que visam proteger a mulher em situação de risco, havendo sucessivas alterações legislativas sobre o tema, em face do alarmante recrudescimento de tais casos.

 
Convém destacar também que atualmente existe no município de Cerejeiras local sigiloso em que as mulheres vítimas de violência doméstica e seus dependentes podem ser acolhidos enquanto tramita a investigação e ação penal pelos crimes no contexto de violência doméstica.

Os órgãos responsáveis na repressão de tais crimes disponibilizam diversos canais onde podem ser ser realizadas denúncias, inclusive de forma anônima, tais como (69) 3342-2436 (Polícia Civil de Cerejeiras- Whats App), 190 (Polícia Militar), (69) 3342-3392 (Ministério Público) e “Dique 180” (Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos).

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »