01/03/2018 às 15h51min - Atualizada em 01/03/2018 às 15h51min

Cerejeiras adere à greve e fortalece movimento no Cone Sul

Após reunião realizada na manhã desta quinta-feira (01), os trabalhadores em educação de Cerejeiras decidiram paralisar as atividades por tempo indeterminado. Para o diretor regional do Sintero, professor Magno Ramos, a decisão fortalece o movimento que, segundo ele, já atinge 80% em todo o Estado. Vilhena, por exemplo, o movimento está crescendo e como novas adesões a cada dia, segundo ele. Na assembleia, que contou com um grande número de participantes, os profissionais de todas as escolas de Cerejeiras estiveram apoiando o movimento. Os trabalhadores encaminharam, na ocasião, propostas a serem deliberadas durante os dias de protestos que começam a partir desta sexta-feira (02). Magno Ramos, que esteve à frente da reunião, voltou a destacar o motivo da greve. Segundo ele, a luta visa o cumprimento da Lei 3.565/ 2015, conhecida como Meta 17, que atende o Plano Estadual de Educação (PEE). “O governo não cumpre o plano aprovado pela Assembleia Legistiva. Além disso, os salários abaixo do piso nacional é mais uma demonstração do descaso com a classe trabalhadora rondoniense”, ressaltou o diretor regional. Servidores de Pimenteiras, Colorado e, agora Cerejeiras, engrossam ainda mais a luta contra os desmandos do governo estadual, acrescenta o vereador e sindicalista Valdeci Sapata, que prometeu, em sua fala, uma moção de aplauso aos grevistas e aos parlamentares que se identifiquem com a causa, além de encaminhar pedidos de apoio ao vice-governador Daniel Pereira.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »