01/08/2018 às 10h00min - Atualizada em 01/08/2018 às 10h03min

Com a ficha limpa, Daniel Pereira pode ser o candidato ao Governo no lugar de Acir Gurgacz

Muita água ainda vai rolar esta semana. Nada está definido no cenário político rondoniense, apesar de algumas convenções indicarem nomes ao Governo e Senado Federal. Porém, tudo pode mudar em razão de decisões judiciais. O caso do senador Acir Gurgacz é um bom exemplo disso. O parlamentar foi condenado por crime contra o sistema nacional a quatro anos e seis meses de prisão em regime semiaberto, além de perda dos direitos políticos, podendo ficar fora da disputa este ano ao Governo, conforme revela matéria abaixo produzida pelo site Congresso em Foco. Caso isso ocorra, a bola da vez seria o nome do governador Daniel Pereira que, com sua ficha limpa, assumiria uma pré-candidatura ao Governo, fato que, segundo fontes deste informativo, já estaria em andamento nos bastidores político. Daniel tem se destacado como uma liderança forte, articulada e promissora para o Estado.   Leia mais Entenda o caso do senador Acir Gurgacz Dos 27 senadores que ainda têm mandato a cumprir até 2023, mais da metade (14) pretende disputar o governo de seus respectivos estados, deixando o cargo no meio do caminho na hipótese de sucesso nas urnas. Este é um dos dados do levantamento que o Congresso em Foco tem levado a público nos últimos dias, com base em consultas aos próprios parlamentares e a comandos de campanha de partidos com representação no Senado. Confira a íntegra da matéria Metade dos senadores com mandato até 2023 deixará cargo para tentar governo Segundo apuração da reportagem nas últimas semanas, os seguintes senadores deixarão os cargos pela metade caso consigam se eleger: Acir Gurgacz (PDT-RO), Antonio Anastasia (PSDB-MG), Davi Alcolumbre (DEM-AP), Elmano Férrer (Podemos-PI), Fátima Bezerra (PT-RN), Gladson Cameli (PP-AC), José Maranhão (MDB-PB), Omar Aziz (PSD-AM), Paulo Rocha (PT-PA), Roberto Rocha (PSDB-MA), Romário (Podemos-RJ), Ronaldo Caiado (DEM-GO), Rose de Freitas (Podemos-ES) e Wellington Fagundes (PR-MT). [...] Sub judice Imbróglios judiciais também têm atormentado a vida do PDT, que tem três senadores em exercício. Com mandato até 2023, o senador Acir Gurgacz (RO) não poderá disputar eleições em 2018, embora possa se manter no cargo. No final de fevereiro passado, ele foi condenado por crime contra o sistema nacional a quatro anos e seis meses de prisão em regime semiaberto, além de perda dos direitos políticos. Segundo a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR), o senador fraudou procedimentos para obter financiamento junto ao Banco da Amazônia entre 2003 e 2004. Cabe à Mesa Diretora do Senado decidir sobre a situação do senador, que não parece ter se intimidado com a Justiça e já anunciou que disputará o governo de Rondônia, mesmo se tiver que fazê-lo na condição sub judice. Fonte: Congresso em Foco.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »